Agosto Lilás | Da Redação com informações da Assessoria | 20/08/2017 09h00

TJ lança Semana pela Paz em Casa com apresentação teatral

Compartilhe:

Quem passou pelo Mercadão Municipal de Campo Grande na manhã de ontem (19) assistiu e interagiu com uma esquete teatral apresentada para falar com a população no lançamento, na Capital, da 8ª Semana da Justiça pela Paz em Casa. Idealizada pela presidente do STF e do CNJ, Ministra Cármen Lúcia, e encampada pelo presidente do Tribunal de Justiça, Des. Divoncir Schreiner Maran, a mobilização nacional visa conscientizar e erradicar toda forma de violência contra as mulheres.

Na abertura da Semana pela Paz em Casa, a juíza Liliana de Oliveira Monteiro, colaboradora da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, ressaltou a importância de divulgar o que é a violência doméstica, de como ela é tratada e quais são as ações que devem ser adotadas para combatê-la. “O objetivo do Tribunal de Justiça, por meio da Coordenadoria da Mulher, é mobilizar e trazer à população informações sobre o que é a violência doméstica e o que constitui as agressões contra as mulheres. Além da divulgação por meio de cartilhas informativas, o teatro vem para chamar a atenção das pessoas e esse tipo de ação vem para que a população se mobilize também nesse sentido de combater a violência doméstica”, destacou a magistrada.

Para o diretor e ex-presidente da Associação do Mercadão Municipal, Ronald Kanashiro, a dramatização apresentada transparece a realidade que a mulher passa nas particularidades dos ambientes familiares. “A encenação mostrou o que acontece nas particularidades das famílias, afastado do olhar da lei, e que isso venha a ser um fator importante para sensibilizar as pessoas e podermos dar a devida proteção e a devida importância às nossas mulheres no Brasil. Congratulo essa ação do Tribunal de Justiça de MS por ter nos dado a honra de poder estar iniciando esta mobilização em Campo Grande e nos colocamos inteiramente à disposição para podermos consolidar essa parceria”.

Dentre as inúmeras pessoas que interagiram com os atores durante a esquete teatral, Junia Lamonica Azevedo, moradora de Londrina de passagem pela Capital, incentivou a todo momento para que a personagem agredida denunciasse as violências que recebia do marido. “Faço um trabalho social com pessoas vítimas de situações como esta retratada na esquete teatral. Aconselhamos, ajudamos estas pessoas e e esse tipo de apresentação é muito bom para conscientização. Dá um impacto de ver essa violência apresentada. Acredito que muitos que estavam assistindo estão passando pela mesma situação e não falam”.

Dentre as ações da 8ª Semana da Justiça pela Paz em Casa, que se estende até o próximo sábado (26), a esquete teatral ainda será apresentada na Feira Central de Campo Grande e no Shopping Norte-Sul, nos dias 23 e 26, respectivamente.

Números – Uma pesquisa do instituto Datafolha mostra que, por hora, 503 mulheres foram vítimas no Brasil, em 2016. Isto posiciona o país como o 5º mais violento para mulheres na América Latina e Caribe.

O Estado de Mato Grosso do Sul não fica atrás. É reconhecidamente o 2º com mais casos de violência doméstica e familiar e o pior, Campo Grande é a capital com mais casos de Feminicídio, assassinatos de mulheres por conta de seu gênero. Para se ter ideia, de janeiro a meados de julho de 2017 houve 18 casos de feminicídios na Capital.

Durante todo o mês de agosto, o Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul integra a campanha Agosto Lilás, do Governo do Estado de MS, além das ações já programadas neste ano de 2017, da campanha “Mulher Brasileira” que busca conscientizar e erradicar toda forma de violência contra as mulheres.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS