Câmara de CG | Com Assessoria CMCG | 15/05/2019 08h42

Educadora defende políticas de inclusão para alunos com Altas Habilidades/Superdotação

Compartilhe:

Fazendo uso da Tribuna durante a sessão desta terça-feira (14), a professora Maria Helena Reis defendeu a criação e ampliação de políticas públicas voltadas para a inclusão para alunos com Altas Habilidades/Superdotação. A convite do vereador Otávio Trad, a educadora afirma que os jovens não possuem o devido amparo, e que, se não acompanhadas desde cedo, “podem se voltar contra a sociedade”.

“É natural olharmos para aquelas crianças, para aqueles alunos, que consideramos mais frágeis. É natural do ser humano proteger aquele que acredita que precisa mais de nós. Mas, esquecemos daqueles com altas habilidades que estão em formação. Se ela [a formação] não for correta, se não for um atendimento global, num futuro bem próximo, essa pessoa irá se virar contra a sociedade onde ele vive”, afirmou.

A estimativa mais conservadora da OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que há 10 milhões de superdotados no Brasil, ou 5% da população. O número considera apenas aqueles com facilidade em raciocínio matemático ou línguas. Se levarmos em conta as demais áreas em que um superdotado pode se destacar, esse percentual sobe para 10% da população, ou 20 milhões de talentos.

“Infelizmente, o maior mito que permeia são que as pessoas com altas habilidades não precisam de encaminhamento, que eles não precisam de acompanhamento, que eles têm o poder de aprender do nada. Não é assim. A exemplo disso, do não acolhimento, temos o maior superdotado de todos os tempos, Adolf Hitler. Ele conseguiu convencer uma nação inteira a ficar a favor de suas atrocidades”, citou.

“Pedimos políticas públicas que promovam esse atendimento. Que contemplem essa necessidade de atendimento que a criança precisa nos aspectos emocionais e pedagógicos, e não só do aluno: de todos que estão envolvidos, como família, escola e, principalmente, capacitar professores que sejam capazes de identificar e indicar qual é o melhor acompanhamento”, continuou.

Para o vereador Otávio Trad, a criação de políticas públicas para educação de crianças com altas habilidades/superdotação é essencial para assegurar seu desenvolvimento pleno. Por isso, o parlamentar apresentou Projeto de Lei que autoriza o Município a criar a “Programa Aprimorando Talentos”, que estabelece práticas no atendimento a alunos com altas habilidades/superdotação em instituições da Rede Municipal de Ensino.

“A partir do momento que aprendi a importância de olhar para as pessoas com altas habilidades/superdotação e ver que em Campo Grande ainda temos muito a fazer em termos de políticas públicas, percebi a necessidade de se criar algo concreto na legislação municipal. Conversei com secretária de educação Elza Fernandes sobre o que a Semed já está fazendo, mas sabemos que é preciso avançar. Com a lei, instituiremos na legislação municipal políticas públicas específicas para alunos com altas habilidades/superdotação”, finaliza vereador.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS