Direitos Humanos | Portal do MS | 14/12/2019 07h10

Associação de Mulheres Independentes na Ativa descobre talentos com desenho animado

Compartilhe:

Uma dentre as 38 organizações beneficiadas pelo Chamamento Público de 2019 do Governo do Estado, a Associação de Mulheres Independentes na Ativa (Amina), com sede no município de Anastácio, quer descobrir novos talentos por meio de desenhos animados. Nesta semana uma equipe da entidade esteve na Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), para apresentar o andamento do projeto.

A Amina, que tem seu foco de trabalho para o resgate da autoestima de mulheres vítimas de violência doméstica por meio de atividades de geração de renda, também trabalha com as crianças dessas famílias. “Nós estamos trabalhando com aplicativo de desenho animado e informática avançada na área gráfica, com crianças de 6 a 17 anos. Queremos criar um grupo de desenho animado em Anastácio e região e assim descobrir novos talentos”, explicou a presidente da instituição, Nilma da Silva.

O secretário-adjunto da Sedhast, Adriano Chadid, destacou o importante papel da Amina em toda sua região de atuação. “Desde a essencia do projeto já percebemos o trabalho sério e inovador desenvolvido pela Amina. Desejo sucesso aos jovens envolvidos nesse desafio e tenho certeza que bons frutos serão colhidos com essa ação”, pontuou.

Neste Chamamento Público, conduzido pela Sedhast, via Superintendência da Política de Direitos Humanos e Coordenadoria de Apoio as Organizações da Sociedade Civil (Caosc), a Amina foi beneficiada com R$ 50 mil. O projeto tem como foco propiciar a inclusão digital e social, por meio de oficinas de aplicativos e apoio pedagógico.

A presidente da Amina também reforçou o apoio técnico do Governo do Estado, via Sedhast. “Estamos completando 15 anos de existência e desde o início nós temos o apoio do poder público. A rotina com projetos, documentação e organização foi aprendida com a Sedhast”, registrou.

Amina

A associação foi criada em 2004 por um grupo de mulheres, as Marruás Pantaneiras (algumas delas vítimas de violência doméstica), a maioria com baixa escolarização, residentes nos bairros e vilas da região urbana, rural e indígena dos municípios de Anastácio e Aquidauana que perceberam pouca atenção destinada às mulheres que em algum momento de suas vidas já haviam sido desrespeitadas e abusadas.

A Amina oferece cursos de informática básica, corte/costura, culinária, teatro pintura em tela e tecido, bordado em chinelos, bonecas de pano, crochê, vasos de argila, cultivo de orquídeas, manicure e pedicure, cabeleireiro, entre outros, sempre buscando resgatar a autoestima de mulheres e seus filhos.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS