MS em Dia | Da redação/ com Imprensa Famasul | 16/05/2016 16h58

Com apoio do Sistema Famasul, médicos veterinários recebem capacitação de Programa Nacional de Sanidade dos Equídeos

Compartilhe:

Os maiores especialistas do Brasil estão na Capital Sul-Mato-Grossense empenhados na 1ª capacitação de médicos veterinários do Programa Nacional de Sanidade dos Equídeos. O treinamento que acontece entre os dias 16 e 19 de maio é realizado pela Iagro - Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal de MS e conta com o apoio do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, na sede da Casa Rural.

O vice-presidente do Sistema Famasul, Nilton Pickler, recebeu os profissionais da medicina veterinária e, na abertura, destacou a importância do evento. “Alinhar a metodologia de diagnósticos patológicos de mormo em equídeos qualifica o trabalho desenvolvido pelos veterinários e técnicos que atendem no setor privado e público no Estado”.

O Mormo ou lamparão, como é popularmente chamado, é uma doença infectocontagiosa mais comum nos equídeos e que pode ser transmitida ao homem e também a outros animais. Os sintomas mais comuns são a presença de nódulos nas mucosas nasais, nos pulmões, gânglios linfáticos, catarro e pneumonia.

Para o diretor presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, o objetivo é esclarecer e minimizar os efeitos do mormo em equídeos. “Ainda existe muita polêmica e dúvida com relação ao mormo. Por isso, o desafio é ampliar a discussão, padronizando as atividades executadas pelo Programa e atualizando os profissionais que atuam na área. Este é um importante passo para reduzir os efeitos negativos e erradicar a bactéria”.

A primeira palestra contextualizou a chegada e os números da doença no país. “Acredita-se que a bactéria foi introduzida na descoberta do Brasil, com a chegada dos portugueses e os cavalos usados como único meio de transporte na época. O clima tropical, quente e úmido, a aglomeração e a falta de medidas higiênico-sanitárias são os principais fatores de propagação da doença”, explica o especialista em patologia veterinária pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, Fernando Leandro dos Santos.

Outro assunto discutido é a Resenha de Equídeos. O tema foi ministrado pela doutora pela Universidade Federal de Minas Gerais, Adalgiza Souza Carneiro de Rezende. “As escolas de veterinária ensinam os diagnósticos de formas diferentes a partir de literaturas também diferenciadas. Na minha palestra sempre recomendo que seja utilizada apenas uma nomenclatura baseada na genética do animal”, adiantou a especialista.

Mais de cem pessoas participam do evento que tem na programação ainda temas como, anemia infecciosa equina, a situação do Mormo em Mato Grosso do Sul, coleta de material a campo e o momento para tirar dúvidas sobre a doença. As palestras no segundo dia de evento darão início às 8h.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS