Rádio Corredor | Por Danilo Galvão | 09/11/2018 10h58

MDB no preparo de 2020 e Simone perto de feito histórico

Compartilhe:

O novo Puccinelli - Com a prisão de André Puccinelli cada vez mais estendida, o MDB de Mato Grosso do Sul se preocupa com o futuro e busca no quadro interno e fora um grande nome para ser candidato a prefeito de Campo Grande. Depois do que ocorreu em 2018, o diretório deve trabalhar melhor as opções de planos A, B, C ou Z.

Lá e cá - Nacionalmente, a influencia do MDB de Mato Grosso do Sul, segue bem garantida, com o peso que Simone Tebet e Waldemir Moka ainda possuem em Brasília-DF. O veteranismo de Moka o garante protagonismo mesmo sem mandato no ciclo que inicia em 2019.

Pupilo - O mesmo vale para Carlos Marun, que, na experiência como ministro da Secretaria de Governo, ganhou como poucos no Brasil, um entendimento sobre a política na capital federal. E 2020, concorrendo à Prefeitura de Campo Grande poderia ser o maior teste da vida desse político, que nunca negou ser pupilo do italiano.

Outro PT - O risco maior é o MDB do Estado é não conseguir o mesmo status no regional. Para isso depende que um novo grande líder surge e que fale a linguagem contemporânea da política. Só assim a vasta estrutura de diretórios municipais fará a diferença de novo. Ou o partido seguirá a dramática trajetória do PT local.

Agora que são elas - Simone Tebet, assim como o pai, deve se tornar presidente do Senado. Graças a uma articulação que transcende o MDB e a dinâmica de Renan Calheiros. Caso aconteça, Mato Grosso do Sul terá um momento único na sua história, em virtude da ascensão de duas brilhantes mulheres na política. Vale lembrar que Tereza Cristina será ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Corumbá no Congresso - Quase duas semanas após o final das eleições deste ano, a movimentação política deu novas caras para 2019. Com a ida da deputada federal Tereza Cristina para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do governo Bolsonaro, Geraldo Resende assumirá a vaga. Porém, o PSDB trabalha nos bastidores para que ele se torne secretário no novo mandato de Reinaldo Azambuja e assim Corumbá deve ganhar uma deputada federal: Bia Cavassa. A ex-primeira dama do município.
VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS