Rádio Corredor | Danilo Galvão | 28/08/2016 17h14

Políticos que já participaram de outras eleições, assim como a própria militância, estão achando muito estranha essa campanha.

Compartilhe:

Esquisito

Políticos que já participaram de outras eleições, assim como a própria militância, estão achando muito estranha essa campanha. A esquisitice passa pela mornidão do debate e até do engajamento do eleitorado que anda mais frio que casa de esquimó. O desafio traçado é como esquentar o cidadão, sem que nisso seja despertada a fúria dele contra tudo e contra todos. Ninguém que disputa o pleito quer um recorde na história de votos nulos. Então o ideal é caprichar na estratégia.

Olho no ‘caixa’

Vale reforçar que a pessoa física do candidato (CPF), é uma coisa, e o próprio candidato (CNPJ de campanha) é outra. Em virtude disso, até para fins de fiscalização, toda movimentação financeira de atividade eleitoral deve ser feita utilizando-se o CNPJ destin ado a isso. Aliás, as doações, ou concessões de bens e valores de pessoas à candidatura são consideradas uma transação financeira, ou, estimada em dinheiro, que deve seguir todas as regras de prestação de contas, com emissão de documentos fiscais igual aos contratos de cessão gratuita, bem como recibos eleitorais. Só para constar, o cruzamento de dados da Receita Federal, qualquer quebra de sigilo bancário e o que se passa para a Justiça Eleitoral, servirão para identificar a rota do dinheiro na vida do político nesta campanha.

Como não pensaram antes?

Com parecer favorável da Comissão de Serviços Públicos, Obras, Transportes, Infraestrutura e Administração, da Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul, o projeto de lei (PL) 285/2015, de autoria do deputado Lidio Lopes (PEN) dispõe sobre a vedação de homenagens a pessoas que tenham sido condenadas por atos de improbidade e corrupção. A proposta inclui na proibição ainda a denominação de prédios e logradouros públicos. Ótima ideia do parlamentar. Câmaras Municipais deveriam copiar!

Bola fora

Para o deputado federal Domingos Sávio (PSDB-MG), o Brasil voltaria a idade da pedra lascada se aprovasse as dez medidas de combate à corrupção sugeridas pelo MPF (Ministério Público Federal). A declaração polêmica foi dada na tribuna da Câmara e foi parar com destaque na mídia nacional. “O melhor documento não é aquele que diz amém à proposta do MPF”, foi o discurso do parlamentar que ainda foi mais além no seu posicionamento. “Não queremos minimizar, queremos endurecer as medidas”, disse depois para consertar um pouco as coisas.

Merecido

A Assembleia Legislativa homenageou recentemente sete personalidades maçônicas de Mato Grosso do Sul, com a entrega da Comenda Liberdade, Igualdade e Fraternidade. A honraria foi criada pela Resolução 22/2015, de autoria do presidente da Casa de Leis, deputado Junior Mochi (PMDB), também propositor da sessão solene realizada no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, que laureou membros de lojas do Estado.
Os homenageados foram Pedro Chaves dos Santos Filho, Domingos Sávio de Souza Mariúba, João Jurandir Prelte, Noel Martins, Harley Ferreira Silvério, Alfredo Fernandes e o governador, Reinaldo Azambuja (PSDB).

Agradecido

O governador, por sua vez teve a classe de agradecer a honraria. “A Maçonaria tem esse importante papel de resgatar valores que se perderam, principalmente, por governos que deixaram de governar para as pessoas e passaram a governar para si mesmos, em uma teia de desvios. Fazer essa sessão solene é rememorar os ensinamentos milenares da Maçonaria e eu só tenho a agradecer”, ressaltou Reinaldo Azambuja.

Dilema

O deputado estadual Coronel David (PSC) pede mais circulação de ônibus no Bairro Chácara das Mansões, em Campo Grande. A solicitação foi lida em sessão parlamentar da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS).
De acordo com os usuários do transporte coletivo urbano, há necessidade de mais veículos no período das 9h30, no sentido Centro/Bairro, e das 14h30, para o sentido Bairro/Centro. O documento foi encaminhado ao prefeito do município, Alcides Bernal. Aliás, o transporte público será um dos temas que os dois e os outros candidatos a governar a Capital terão muito que discutir na campanha.

Baratinado

Vadinho do PT, que se tornou nesse ano o ‘Vadinho do PDT’ está fora dessas eleições, o que significa uma perda até folclórica para o pleito. Assentado do Geraldo Garcia, ele entrou para a história da política da cidade, sendo o primeiro ‘produtor de pequena propriedade’ da área rural a ultrapassar a quantidade de 800 votos em um certame.

Sustentável

Matéria de autoria do deputado Amarildo Cruz (PT), quer incentivar o uso de energia solar fotovoltaica no Estado. Depois de convertida em eletricidade, essa fonte pelo menos complementar a energia elétrica em estabelecimentos e residências. Investimento que compensa!!

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS