Rádio Corredor | Amândio Martins | 24/03/2017 08h05

Vilma fazendo barulho na tribuna e Enelvo oficializa mais uma parceria

Compartilhe:

Destaque com proposituras e projeto

Na última sessão da Câmara Municipal de Sidrolândia, realizada na terça-feira (21), a vereadora Vilma Felini, do PSDB, teve um projeto de lei, da sua autoria, aprovado pelo plenário. Tendo como proposta a obrigatoriedade de testes vocacionais para alunos da rede pública, a matéria ganhou o apoio dos demais integrantes do Legislativo Municipal que também aprovaram mais um projeto de lei na sessão.

Necessidade antiga
A outra matéria que ganhou o aval dos parlamentares foi a que prevê alteração na Lei complementar n°038/2008, projeto de lei que propõe a instituição de cargos de natureza fiscal no Município de Sidrolândia.

Ditando o ritmo

Na série de indicações parlamentares da última sessão, Vilma foi quem mais apresentousugestões na tribuna ao Poder Público. A vereadora do PSDB requisitou a implantação de um redutor de velocidade “Trafic Calming” na Avenida Dorvalino dos Santos, na saída para Campo Grande. Também solicitou para que sejam feitas calçadas em volta de todo Parque Ecológico Vale do Vacaria e instalação de uma academia ao ar livre no mesmo local. Vilma ainda pediu treinamento aos servidores municipais do Serviço de Atendimento ao Público, Iluminação pública em toda extensão do Bairro Alto da Figueira, construção de um parque infantil “playgrounds” e uma praça no Bairro Pé de Cedro.

Proacin em Nioaque

Em mais uma cidade, o diretor presidente da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), Enelvo Felini oficializou parceria com prefeitura municipal para apoio a agricultura familiar em aldeias. A cidade da vez foi Nioaque. Ao lado do prefeito, Valdir Júnior ficou acordado o repasse mensal de R$ 25.730,00 em recursos do Proacin – Programa de Apoio às Comunidades Indígenas de Mato Grosso do Sul.

Só isso?

“Até o momento já foram liberados mais de R$ 300 mil para manutenção de máquinas agrícolas e fornecimento de combustível para as aldeias. O Proacin tem por objetivo facilitar o acesso aos insumos agrícolas para 15 mil famílias indígenas que vivem em 72 aldeias de oito etnias”, destacou Enelvo em seu perfil do Facebook. Fazendo uma conta simples, levando em consideração o montante e o número de famílias atendidas chega-se ao “impressionante número” de R$ 20 por família. Seria interessante que o atendimento fosse mais ampliado e mais incrementado.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS