Ano começa com número preocupante de casos suspeitos de dengue

"/>
Sidrolândia | Com Prefeitura de Sidrolândia | 10/01/2019 11h00

Ano começa com número preocupante de casos suspeitos de dengue

Compartilhe:

O setor de Vigilância Epidemiológica vinculado à Secretaria Municipal de Saúde está atento à necessidade de alertar à população sobre os riscos do surgimento de casos de dengue, chikungunya e zika, a partir da proliferação do mosquitos aedes aegypti.

O trabalho das equipes em campo neste ano teve início na segunda-feira (07/01), com a finalidade de levantar focos e junto com os munícipes, vistoriar os recipientes que podem se tornar criadouros do mosquito.

O prefeito Dr. Marcelo Ascoli ao se reunir com o secretário Nélio Saraiva Paim Filho, foi informado que a estratégia montada nos anos de 2017 e 2018 será mantida.

No ano passado Sidrolândia teve 67 notificações e 15 casos confirmados de dengue, quadro considerado de baixa incidência. Quanto à chikungunya e zika não houve casos no município.

2019 começa com índice preocupante

Nem bem começou o novo ano, os primeiros números já ligam o sinal de alerta e exigem desde agora o envolvimento da população em colaboração com o trabalho realizado pelos agentes.

Até a manhã desta quarta-feira (09/01) o boletim epidemiológico contabilizou 12 notificações (casos suspeitos) de dengue em Sidrolândia. Após a coleta sanguínea e envio a laboratório, é esperado o resultado para se confirmar ou descartar a doença.

Participação da população no combate ao mosquito

O aedes aegypti é um mosquito doméstico. Ele vive dentro de casa e perto do homem. Com hábitos diurnos, o mosquito se alimenta de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. A reprodução acontece em água limpa e parada, a partir da postura de ovos pelas fêmeas. Os ovos são colocados e distribuídos por diversos criadouros.

Em menos de 15 minutos é possível fazer uma varredura em casa e acabar com os recipientes com água parada – ambiente propício para procriação do aedes.

Alguns Cuidados

Tampe os tonéis e caixas d’água; Mantenha as calhas sempre limpas; Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo; Mantenha lixeiras bem tampadas; Deixe ralos limpos e com aplicação de tela; Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia; Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais; Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa; Limpe ralos e canaletas externas; Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água; Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água; Mantenha os quintais ou terrenos limpos, evitando a presença de recipientes que acumulem água.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS